Curso Perícia Odontologica Curso Pericia Odontologica

4 dicas sobre fluxo de caixa que você deve aplicar no consultório odontológico.


Um dos motivos pelos quais muitos dentistas resolvem fechar as portas do consultório mais cedo para investir em outros negócios ou aderirem a clínicas coletivas não é a falta de clientes, mas falhas no controle do fluxo de caixa. Tal como qualquer empreendedor, o dentista que superestima a sua receita, contando com a integralidade de pagamentos parcelados de pacientes, por exemplo, além de se esquecer de anotar despesas básicas do dia-a-dia, pode estar comprometendo o futuro do seu consultório.

Para que o descontrole nas finanças não acabe acarretando no fechamento da empresa, preparamos 5 dicas para deixar seu fluxo de caixa sempre em dia:

Fique atento à data dos recebimentos dos clientes  

Na hora de facilitar a forma de pagamento para não perder o cliente, o dentista acaba aceitando parcelamentos e condições especiais. Até aí, nada de errado. O problema é anotar como “recebida” a quantia integral pelo tratamento, fazendo despesas em cima desse valor. O certo é, assim que cada parcela for paga, dar entrada em cada uma como receita disponível em caixa.

Conte com o dinheiro que irá receber mas anotando ele com as datas corretas e levando-se em conta a taxa de inadimplência.

Tenha mais fontes de capital do que somente a conta dos clientes

É essencial lembrar que todo negócio precisa de um capital de giro, ou seja, reserva financeira que irá suprir os gastos em caso de emergência, na hora de investir em itens para o consultório e afins. Contar com uma reserva para honrar despesas fixas é essencial para evitar atrasos e fazer com as dívidas cresçam. Esse tipo de planejamento garante que em épocas com menor número de atendimentos, como nas férias, por exemplo, você tenha capital para saldar dívidas, pagar serviços, fazer as comprar recorrentes e demais ações.

Um capital de reserva deve ser construído antes mesmo do consultório começar a funcionar.

Seja minucioso ao tomar nota sobre cada gasto

Assim como é preciso uma observação detalhada para identificar cáries em diferentes arcadas dentárias, é necessário ser minucioso para anotar com clareza item por item do seu fluxo de caixa. Vale lembrar que hoje existem softwares de gestão que são úteis, simples, seguros e inteligentes para tomar nota das finanças e contar com relatórios. O importante é especificar do que se trata cada gasto, para que no fim do mês você não precise perder tempo tentando descobrir o que quis dizer com aqueles duzentos reais anotados perto de uma sigla irreconhecível, por exemplo. Além disso, fique esperto: um livro-caixa bem especificado pode ser usado para justificar abatimentos no Imposto de Renda.

Ter um negócio próprio é um desafio. Ainda mais quando se é um profissional da saúde que, além do extenso conhecimento científico, precisa saber lidar muito bem com as contas. Para ser um dentista empreendedor e manter um relacionamento reservado e ao mesmo tempo comercial com o seu paciente, muitas vezes é recomendável deixar as cobranças a cargo de outro profissional, como um secretário ou auxiliar. Acima de tudo, para que seu consultório tenha vida longa é preciso disciplina e organização e é aí que entra um fluxo de caixa atualizado diariamente e de acordo com sua realidade.

E aí, como irá usar nossas dicas para fazer do seu fluxo de caixa um grande auxiliar na administração do seu consultório? Se você conhece mais dicas, fique à vontade e compartilhe abaixo!


Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.