Curso Perícia Odontologica Curso Pericia Odontologica

Como ser rigoroso com um paciente sem ofendê-lo?


Independentemente da área, se o trabalho envolve o relacionamento com clientes e demais parceiros comerciais você sabe que é preciso criar regras para que tudo ocorra bem, sem erros de comunicação e execução. Cabe ressaltar que as pessoas têm temperamentos diferentes, características e visões de mundo particulares e isso exige dos profissionais envolvidos certa flexibilidade e capacidade para administrar conflitos.

Isso acontece em pequenas, médias, grandes corporações e também em consultórios odontológicos. Nesse contexto, é provável que você já atendeu algum paciente que em determinado momento o colocou na situação de se posicionar sobre algum procedimento ou tratamento. É possível que tenha ficado em dúvida sobre como fazer isso sem criar uma situação constrangedora, afinal, você sabia que era a hora de ser um pouco mais firme, mas também não queria transmitir uma imagem negativa, menos ainda insultá-lo ou prejudicar a relação paciente – profissional que existe. Você sabe como ser rigoroso sem ofender o cliente?

O texto abaixo erá ajudá-lo a resolver o tipo de situação citada acima.Confira!

Algumas doses de gentileza

Em algumas ocasiões você precisará ser rigoroso com seu paciente, mas para isso não é necessário ter uma postura desagradável, se exaltar ou desrespeitá-lo. É possível, de forma gentil e educada, orientá-lo, esclarecer dúvidas e mostrar a ele o porquê do tratamento ser feito daquela forma ou se estender por determinado número de semanas. Assim, cuidado com o tom da voz, olhe nos olhos do paciente e pergunte se você foi claro e se ficaram dúvidas.

Conversas com seus pacientes são produtivas porque, além de informá-los o cronograma dos procedimentos, você também começará a conhecê-los melhor e, uma vez que souber algumas das características e hábitos deles, a tendência é que a relação fique mais fácil.

Crie metas

Se você precisa ser rigoroso com um paciente é porque você quer que ele entenda ou faça algo. Assim, para demonstrar a ele a importância de colocar o que o dentista disse em prática, faça um cronograma. Vamos a um exemplo. O paciente deveria usar a moldeira de clareamento por quatro horas diárias, porém, não seguiu corretamente a recomendação retornando ao consultório com pouco resultado efetivo no clareamento. Assim, o dentista pode colocar uma meta para que na próxima visita o paciente esteja com resultados mais visíveis.

A importância de ouvir o paciente

Algumas pessoas não se sentem confortáveis em clínicas odontológicas e médicas, de modo que até uma visita de rotina ao dentista pode criar tensão para elas. E se o motivo da presença do paciente ali não for uma consulta rotineira, mas sim algum outro procedimento – como uma extração de dente ou tratamento de canal – é provável que ele chegue ao consultório com um alto nível de estresse.

Dessa forma, é importante ouvi-lo com atenção, a fim de entender quais são os medos, inseguranças, anseios e dúvidas dele para que você possa orientá-lo e tranquilizá-lo. Além disso, essas conversas contribuem para a criação de uma relação de confiança, algo muito importante quando do assunto é saúde.

Naturalmente, esses diálogos exigem paciência, mas é fundamental lembrar que ficar irritado com seu paciente porque ele lhe questionou sobre um procedimento aparentemente conhecido ou se exaltar quando ele deixar de seguir uma orientação sua, só causará desgaste na relação entre vocês e isso poderá até levá-lo a buscar um novo profissional em outra clínica. Ao invés de ficar impaciente com seu cliente, procure conversar e responder suas dúvidas ou entender os motivos de ele não ter seguido as orientações recebidas.

Questione o que ele sabe sobre cuidado com os dentes

Ao fazer uma primeira sondagem geral, questionando frequência das escovações, idas posteriores ao dentista, uso de aparelhos e outros detalhes é possível saber o nível de conhecimento do paciente. Pessoas têm informaçções diferentes, algo que varia conforme classe socioeconômica e até conforme a idade! Portanto, nunca julgue alguém por não saber sobre determinado assunto. O profissional é você!

Mantenha a firmeza

Quando o paciente deixa de seguir uma recomendação como comer certos alimentos em um clareamento ou se esquecer de “apertar o aparelho”, ele está errado. É importante mostrar a ele a consequência desse erro e descobrir porque ele deixou de fazer o que foi prescrito.

Ser rigoroso é ser firme ao falar, portanto, tenha bons argumentos e seja claro! Porém não grite e nem faça questionamento do tipo “é algo tão tão simples, como você não fez/não sabe?”.

E você, já passou por essas situações que lhe fizeram ser um pouco mais objetivos com seus clientes? Conte-nos como elas foram contornadas!


Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.